segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Leitura na Noruega: Escritores noruegueses


Hei alle!

Será que algum de vocês já ouviu falar ou leu algo de um escritor norueguês?
A princípio a maioria pode dizer que não, afinal, autor norueguês é uma coisa meio desconhecida por aí, mas aposto que todo mundo reconhece o título “O Mundo de Sofia”. Pois é, esse livro que foi bem famoso no Brasil há alguns anos é de Jostein Gaarder, autor norueguês contemporâneo.

A Noruega tem vários autores reconhecidos pela Escandinávia e até por outras partes do mundo. E hoje venho apresentar três deles para vocês.

  
Jostein Gaarder é considerado um intelectual, tendo cursado línguas escandinavas e teologia na Universidade de Oslo. Ele é autor de vários romances filosóficos, contos e histórias.
No Brasil vários livros dele, além de Sofies Verden (O Mundo de Sofia), foram lançados, como por exemplo, Julemysteriet (Mistério de Natal), Kabalmysteriet (O Dia do Curinga) e Slottet i Pyreneene (O Castelo dos Pirineus).
Sofies Verden foi publicado originalmente em norueguês em 1991, já foi traduzido para mais de 50 línguas e alcançou altos níveis de venda. Sua primeira edição em português saiu em 1995. Esse livro pode ser considerado tanto como um romance quanto como um guia básico de filosofia, onde o leitor, juntamente com Sofie, é convidado a trilhar toda a história da filosofia ocidental.
Particularmente eu nunca li nenhuma obra de Gaarder, mas já tenho a minha cópia d’O Mundo de Sofia na estante esperando a sua vez. Uma grande amiga minha tem esse como o seu autor favorito e recomenda muito o livro O Castelo dos Pirineus, que seria “uma linda história de amor com um final surpreendente”.

Capas das edições norueguesas dos livros de Gaarder
 
Erik Fosnes Hansen é outro autor popular na Noruega. Apesar de ter nascido em Nova York, seus pais eram noruegueses e ele foi criado aqui. Ele estudou arte e literatura e lançou seu primeiro romance Falketårnet com apenas 20 anos, em 1985.
Falketårnet (Torre de falcão, em tradução livre) é descrito como um drama simbólico e intensamente psicológico, desenvolvido no Império Germânico das Cruzadas por volta de 1230 D.C. Esse romance foi bem recebido pelos críticos e leitores como um extraordinário début.
Entre seus outros romances já lançados estão, Salme ved reisens slutt (Cântico para a Última Viagem), Beretninger om beskyttelse (Contos de Proteção, em tradução livre) e Løvekvinnen (A Mulher Leão, em tradução livre). E, O Cântico para a Última Viagem já foi publicado no Brasil.
Erik F. Hansen já até escreveu um livro sobre a Sua Alteza a Princesa Märtha Louise, filha do rei e quarta na linha de sucessão, chamado Underveis (A caminho, em tradução livre). O livro é baseado nas conversas entre Erik e a Princesa e traz uma visão de como é ser uma princesa jovem e moderna na Noruega.

Capas das edições norueguesas dos livros de Hansen

O terceiro autor de hoje se chama Lars Saabye Christensen, escreve desde 1976 e tem muitas obras publicadas, dez coleções de poesias, cinco coleções de histórias curtas e doze romances, além de também escrever peças teatrais.
Saabye Christensen é bem ativo no mundo literário, chegando inclusive a pertencer a Academia Norueguesa de Língua e Literatura.
Entre seus trabalhos mais renomados estão os romances Beatles e Halvbroren (O meio-irmão, em tradução livre).
Beatles foi lançado em 1984 e conseguiu um grande sucesso comercial no país. O livro conta a história de quatro rapazes de Oslo, durante os anos de 1965 a 1972, abrangendo a adolescência e o começo da vida adulta. Todos têm um interesse em comum, são fãs dos Beatles e assumem cada um o nome de um dos integrantes, partilhando até alguma característica com o ídolo escolhido. A narrativa envolve o amadurecimento dos personagens durante a luta política dos anos 60 e como eles viram esquerdistas por influências das pessoas com quem se envolvem.
Já em Halvbroren, publicado em 2001 e lançado também no Brasil, a história é sobre dois irmãos que lutam para se tornarem indivíduos completos. O livro segue a vida da família durante vários anos e diversas etapas de suas vidas, tendo uma narrativa rica e uma base histórica relevante. É descrito ainda como sagaz, enigmático e lindamente escrito.
Por esses dois livros Saabye Christensen ganhou inúmeros prêmios literários. E, o segundo também já foi publicado no Brasil, pela editora Objetiva.

Capas das edições norueguesas dos livros Christensen

Além desses três a Noruega tem outros escritores aclamados e premiados internacionalmente.
Outro fato interessante, é que para incentivar e promover a literatura nórdica, o Conselho Nórdico de Ministros – uma organização que junta a Finlândia, a Islândia, a Suécia, a Noruega e a Dinamarca – atribui um prêmio anual de literatura, o Nordisk Råd Litteraturpris, desde 1962, a um autor proveniente de um destes cinco países. E oito noruegueses já foram agraciados com esse prêmio, inclusive Lars Saabye Christensen.

Espero que tenham gostado de saber um pouquinho mais sobre a produção literária da Noruega. E que a curiosidade de vocês tenha sido ativada.

Ha det bra!

* Todas as imagens foram retiradas da Internet. 
* Esse texto foi publicado originalmente em 17/03/2013 na Coluna Correspondentes Internacionais do site Sobre Livros.

2 comentários:

  1. Acrescento aí dois escritores norsks quais tenho alguma obra:
    Henrik Ibsen (Casa de Bonecas)
    e Jo Nesbo (A Casa da Dor)
    Ainda não os li, mas comprei por serem, além de norsks (rs), muito bem conceituados!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Com certeza Carlos, esses dois são bem conhecidos mesmo. Logo logo vou colocar no ar um post sobre o Henrik Ibsen, e no comecinho do blog escrevi um sobre o lançamento do livro Politi do Jo Nesbø (http://leiturasdajurodrigues.blogspot.no/2013/06/lancamento-livro-politi-de-jo-nesb.html). Abs!

    ResponderExcluir